Do-It-Yourself de Clint Luke Barton - Autorizado por POSEIDON

Ir em baixo

Do-It-Yourself de Clint Luke Barton - Autorizado por POSEIDON

Mensagem por Trevor T. Jones em Ter Jun 12, 2012 12:21 am

Você já sonhou que ia morrer, que viu sua vida ser arrancada de você á força? Pois eu tive um sonho assim, há pouco tempo atrás. Você quer ouvir? Então prepare-se, pegue uma cadeira e uma pipoca pois a história é grande. Eu estava em Nova York, mais precisamente no Central Park, era um dia claro, nenhuma nuvem, e belos pássaros voavam pra lá e pra cá, e é claro que em um belo dia como esse eu não estava sozinho, eu estava acompanhado de Luna Grings, a mais bela filha de Afrodite, sua beleza era maior do que a da sua mãe, que os deuses me castiguem por eu dizer isso mas era a mais pura verdade. Depois de um tempo andando com ela, comemorando o dia dos namorado juntos, decidi por mim mesmo comprar um sorvete ou algo do tipo para tomarmos juntos sentados em um dos pequenos bancos do Parque, após o sorvete deitamos na grama para ficaar de bobeira olhando para o céu e trocando beijos e tudo mais, mas as Parcas não deixaram isso ficar perfeito por muito tempo, elas tinham que estragar ou colocar algo para piorar toda a situação, o céu escureceu em questão de um minuto, e de longe consegui ver uma coisa que me apavorou, mais do que tudo. Uma hidra, um réptil de cinco cabeças vinha em minha direção e óbviamente na da Luna, olhei logo pra ela que puxava suas armas para lutar, respirei fundo e como se algo estivesse entalado na minha garganta falei:

-Luna, corra!!

-Eu não vou deixar você aqui. u.u

-Eu nunca me perdoaria se acontecesse algo com você, fuja, volte para o Acampamento. Eu ficarei bem

Ela assentiu relutante, beijei-a intensamente, e falei:

-Não me espere acordada.

Ela correu, agora era só eu e a fera, a luta foi grande, mas em um vacilo meu acabo morto pela fera. Tudo se escureceu, caí na escuridão eterna, alma em sofrimento eterno, condenado a viver isolado nos Campos Asfódelos, vagando solitáriamente, até que acordo assustado no chalé do meu pai Apollo.

Suado, ofegante, assustado e principalmente com olhos esbugalhados de terror eu olhava para os lados, procurando o monstro o mundo dos mortos e sobretudo, Luna. Meus irmãos estavam olhando pra mim, apavorados quase tanto como eu estava, a maioria estava acordada, e seja lá o que fosse não parecia ser uma coisa boa, mas ainda confuso gritei para Michael Yew - Representante de chalé, segundo melhor arqueiro do chalé e também meu meio-irmão mais legal - que estava ao meu lado com seu pijama estampado com carinhas felizes semelhante á sóis, e com cabelos embaraçados de seu sono tranquilo:

-Onde está Luna??

-Ela tá bem cara foi só um pesadelo, ela tá bem, deve estar dormindo no chalé dela EM SEGURANÇA. - Ressaltou Michael.

- Mas e a Hidra??

-Foi um sonho, não tem monstro. Sem monstro, sem monstro.

Me sentei na cama e peguei um pocu de ar, tudo que eu tinha sonhado parecia real, e muito real a ponto de me fazer acordar metade do chalé. Fui até a cozinha pegar um copo de água, minhas mãos ainda trêmulas de medo e pavor mal conseguiam segurar o copo de vidro, derramei mais água do que bebi, mas funcionou um pouco, a tremedeira passou meu coação desacelerou e finalmente me veio que aquilo era realmente um sonho, afinal, por quê motivo eu estaria fora do acampamento com a Luna, digo, era proibido sair sem permissão. Até que uma maldito cartaz voltou a me deixar nervoso: "Parabéns Clint Barton, você deve uma daquelas ao seu chalé, eles lhe deram o prêmio da corrida de bigas, um passeio em dupla para o CENTRAL PARK, para comemorar o dia dos Namorados" . Paralizei, o sonho era rea, eu realmente estava perto da morte, minhas pernas tremiam, era de dar nojo, eu estava encolhido de medo por dentro, como um menininho tem medo de contar uma coisa que fez de errado para sua mãe. NÃO. Eu não podia morrer, eu era o filho de Apolo com a mira mais precisa do acampamento, eu era o mais corajoso, o cara que namorava com a menina mais bela nada podia me derrubar, eu iria mudar meu destino, eu tinha a força necessária para derrotar a Hidra, nada podia me para, que venham cinco hidras, se eu tivesse algum motivo ou razão para eu ganhar do réptil gigante, nada me pararia.

-De que horas eu sairei com a Luna para o CENTRAL PARK.

-Já passou o medo cara? De 12:00 A.M. vocês poderão ir.

Dei um sorriso e fui me arrumar, pois de acordo com o sol era por volta de 6:00 A.M., mas já que eu sabia que teria que enfrentar minha morte daqui à algum tempo iria me preparar mental e fisicamente. Tomei um banho caprichado, como faziam os samurais antes da guerra sabendo que iam morrer, coloquei meu melhor jeans, minha camiseta que ganhei de minha mãe quando eu completei 10 anos, pouco antes de morrer, era amarela com estampas de praia, e estranhamente o ol da praia se parecia estranhamente com a carruagem de meu pai, calcei um Reebok branco, e coloquei meu cabelo no estilo que gostava, bem arrepiado e espetado.

8:00 A.M

Comecei a pegar minhas armas para levar, e tenho certeza que Quíron faria questão que eu fizesse isso. Coloquei uma pequena bainha para minha faca de Oricalco por baixo da calça, coloquei normalmente minha aljava eletrônica, e meu arco dobrável e semi-indestrutível coloquei dentro da aljava. A minha ida já estava garantida com meu carro de fogo, mas a volta seria um problema devido á alguma pequena circunstância que eu enfrentaria, mas fora isso eu estava tranquilo, chamei Hitler assobiando e ele surgiu das sombras, ele só era agressivo com monstros, vendedores ambulantes e por incrível que pareça, com outros cães infernais, acho que por ele ser Mini,zuavam dele pq ele era pequeno, bullying ele apareceu das sombras do meu lado, fiz carinho em seu pêlo fofo, e ele sorriu como cachorro.

-Vamos enfrentar um inimigo muito poderoso. Você ficará comigo, mas se eu mandar você fugir, fuja.

Hitler não concordou, ele era muito chegado a mim, e não me trocaria por nada, dei um sorriso e falei:

-Se for pra morrer, morremos lutando, não é campeão. Mas esqueça sua fidelidade se eu morrer. E caso isso aconteça, sua dona é a Luna, a proteja por mim OK?

Ele latiu, ou seja ele ia fazer o que eu mandei.

8:30 A.M.

Pesquisei ao máximo sobre a Hidra e como matá-la com filhos de Atena e outros campistas que já a enfrentaram, como uma menina no chalé de Ares que usou um canhão de navio, outro petrificou com a cabeça da Medusa, mas o mais fácil que achei, foi atirar na base do pescoço, onde não se regenerava, e se regenerasse eu queimaria os tocos, impossibilitando-os de se regenerar, a batalha era minha. Pelo menos era isso que eu achava.

10:00 A.M.

Fui com Hitler até fora dos chalés e fiquei observando a alegria dos campistas, peraí, eu não ia ficar com cara de alma penada sem ao menos ter morrido, aproveitei que a área de treinamento ficava próxima do chalé de Afrodite, fui treinar um pouco ao ar livre, desdobrei meu arco e comecei á atirar flechas em alvos distantes e em pratos em movimento que uma máquina jogava, lógico que acertei todos os alvos e todos exatamente no meio, foi um bom treino. Atirei mais uma vez e acertei um alvo a um kilômetro, fazendo a flecha desvias de troncos e acertar o alvo em cheio.

-Belo tiro.

-Obrigado.

Me virei só pra ter certeza de que era Luna, sua doce voz era inconfundível, a mais bela de todas, vestia um belo conjunto de grife que combinava com seus cabelos loiros, e olhos belíssimos, eu poderia ficar um dia inteiro descrevedo a aparência dela, mas não chegaria aos pés da realidade, dei um beijo nela, mas sem deixar transparescer meu medo de morrer. Ela também estava armada, mesmo escondendo bem suas armas eu notava, por que era uma de minhas especialidades o exército de Cronos, fui treinado para, bem... Não importa.

- Feliz dia dos namorados BeBêêê.

-Pra você, também Clint.

Disse ela com a voz mais bonita que eu já existiu em todo o planeta. Pego o colar que enviei para meu pai pra ele me fazer um pequeno favor - aprisionar um raio de sol dentro do pingente em forma de sol - e o coloquei no pescoço dela. Ficou lindo nela. Eu poderia ter dado qualquer coisa que ficaria lindo nela, mas nada que eu desse parecia ser o suficientemente lindo em comparação á ela. Abraço ela calorosamente e depois de dar um selinho nela digo:

-É uma pequena lembrança, pra você nunca, mas nunca se esquecer de mim.

-Ooownnt. Que fofo bebê. É lindo. *.*

Sorri meio sem graça. E dei outro selinho.

-Vamos agora, ou quer ficar aqui mais um pouquinho?

-Acho melhor irmos logo. Quero aproveitar esse dia ao máximo com você.

OK. Que venha a Hidra, eu estou preparado pra ela. Fui de mãos dadas com ela até a porta do Acampamento. Depois de ouvir uma série de conselhos e informações de Quíron, chamei minha carruagem de fogo e quando ela apareceu e se transformou em uma Maserati Spider, Hitler latiu. Ele adorava quando ia de carro e como todo cachorro, colocava a cabeça para fora do carro e sua língua pendia e ficava balançando. Abri a porta para Luna entrar e logo após ela entrar fechei a porta e corri para o meu lugar. Iria ser uma viagem inesquecível. Aperto o botão sol o carro se aquece e começa a voar, Luna ficou um pouco tensa, mas eu era um excelente piloto, e ela tava de cinto. Depois de um pequeno tempo, chegamos em New York, estaciono meu carro na beira do paque. Abro a porta para ela e Hitler sai, muito incoveniente, e fica no meio de nós dois. Eu e Luna começamos a rir.

Depois de um tempo andando com ela, comemorando o dia dos namorado juntos, decidi por mim mesmo comprar um sorvete ou algo do tipo para tomarmos juntos sentados em um dos pequenos bancos do Parque, após o sorvete deitamos na grama para ficar de bobeira olhando para o céu e trocando beijos e tudo mais, mas as Parcas não deixaram isso ficar perfeito por muito tempo, elas tinham que estragar ou colocar algo para piorar toda a situação, o céu escureceu em questão de um minuto, e de longe consegui ver uma coisa que me apavorou, mais do que tudo. Uma hidra, um réptil de cinco cabeças vinha em minha direção e óbviamente na da Luna, olhei logo pra ela que puxava suas armas para lutar, respirei fundo e como se algo estivesse entalado na minha garganta falei:

-Luna, corra!!

-Eu não vou deixar você aqui. u.u

-Eu nunca me perdoaria se acontecesse algo com você, fuja, volte para o Acampamento com meu carro. Eu ficarei bem

Ela assentiu relutante, beijei-a intensamente, e falei:

-Não me espere acordada.

Ela correu, agora era só eu e a fera.

Me dêem força deuses. Saco meu arco e fico tacando flechas explosivas na cabeça do meio que lançava ácido, mirando na boca. Estava tentando mantê-la longe o bastante de mim, para nnão morrer pisoteado. Mando Hitler atacar a cabeça da direita enquanto eu trocava a função explosiva para veveno de centauro ( sangue ), atirei na base do pescoço, e outras visando o coração da fera, mas a pele era dura demais. Aproveitei que Hitler fez um grande corte na 5º cabeça, e mirei lá, e sempre tomando distância, para não ser atingido. Atirei várias flechas e dei a órdem para ele arrancar a cabeça, nisso, preparei uma flecha explosiva e outras duas de fogo, quando a cabeça caiu, Joguei as flechas e ao elas tocarem no toco aleijado e sem cabeça, incinerou a carne da Hidra que ficou irada, e jogou ácido na minha direção. Pulei para o lado mas ela pegou na minha perna esquerda, mais precisamente na batata a perna. A dor foi insuportável, minha pele estava borbulhando e ia consumir mmeus músculos se não parasse, e num momento supremo de desespero puxei a adaga e cortei um pedaço da minha pele e músculos, foi a pior coisa que eu senti na minha vida, um sangramento horrível na minha perna. Hitler não parou de atacar e arrancou a 2 cabeça, sem meu arco, joguei uma bola de fogo grego. o fogo chegou à tempo e queimou o toco sem cabeça. Sobraram três cabeças.

Dei um grito de dor tremendo, devia ser isso que me fez morrer no sonho.

Mas eu não ia desistir, tinha que voltar, de um jeito ou de outro. Atirei mais flechas, dessa vez de Nitroglicerina, u explosivo muito potente, e pra ter certeza de que miraria certo, ativei a mira á laser. Mirei e disparei duas flechas que explodiram e liberaram um fedor estranho. Um corte se abriu na cabeça que cuspia ácido. Olhei ao redor o central park estava totalmente deserto. Luna. Ela deve ter avisado algo para as ninfas das árvores para fazerem algo para mandar os mortais para fora, essa era minha namorada. Puxo duas flechas de Nitrogênio Líquido, e miro bem na cabeça que cuspia ácido ela desviou mas não evitou a explosão que criou uma massa de ar congelado que juntou a terceira cabeça com a primeira, a cabeça restante atirei uma de Nitroglicerina, Hitler arrancou-a, mas a flecha atingiu a cabeça em queda e não fez efeito. resultado, duas cresceram no lugar. Mesmo com minha perna doendo, decidi pegar pesado, disparei sete flechas de Nitroglicerina em direção das duas cabeças que restaram, e corri paa usar minha faca para cortar as duas e tacar fogo, ou também fazer uma coisa que pensei enquanto minha carne era corroída pelo ácido.

Mancando muito e com o sangramento aumentando Hitler fas cortes profundos na base dos pescoços.

-Hi Hitler!!

Esse era o comando pra fazer meu cão atacar, como previsto ele arrancou as cabeças e antes de eu tocar fogo toquei minha faca na cabeça ao lado, como a faca estava chéia de ácido, foi corrroendo o pescoço de todas as cabeças que caíram. Toquei fogo no monstro com o fogo verde. Mas um cabeça da Hidra caíu em cima do meu braço e um de seus dentes perfurou meu ombro esquerdo. Gritei horrívelmene de dor, quase preferi a morte naquela hora, mas no fim tudo escureceu.

...

Eu morri? Então as parcas estavam certas? Acho que não.

Com todos os membros enfaixados e quebrados, acordo na enfermaria do acampamento, mas como? Ao me ver abrir os olhos, Luna, que estava ao meu lado sorriu e começou a me encher de beijos. E eu só consegui perguntar.

-Conseguiu dormir bem?

-Idiota, você quase morre e me pergunta isso? - e me deu um tapa no ombro perfurado, sofri em silêncio.

-Ok! Também te amo. Como eu cheguei aqui?

-Hitler viajou pelas sombras com você, há uns dois dias.

-Ok. Tou muito cansado. Me desculpa pelo que eu te fiz passar bebê.

-Só durma. Agora feche os olhos!!

Fechei os olhos e adormeci.

Notas:
Letras repetidas: O tecladoo do meu netebook é falho, desconnsiderem letras repetidas

Spoiler:
Controle Total do Arco – Lvl 15
Sua perícia está em um nível quase perfeito, você só erra em 5& dos casos, pode acertar um alvo que está usando shunpo e precisa de 0.00000000001 segundos de concentração.
Lvl 3: Perícia com Fogo Negro e Verde ( Mediano ) - Agora você já e quase um "Expert" em Fogo Negro e Verde,podendo lançar rajadas de fogo em grande escala.As Queimaduras são de 2° Grau. 25 de MP

HP e MP ao final da batalha
Hp 100/1520
Mp 500/1500

Como fui transferido para a enfermaria, fui curado totalmente.
avatar
Trevor T. Jones

Mensagens : 133
Data de inscrição : 19/09/2011
Idade : 20

Ficha Mitológica
HP:
2500/2500  (2500/2500)
Energia:
2500/2500  (2500/2500)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do-It-Yourself de Clint Luke Barton - Autorizado por POSEIDON

Mensagem por Zeus em Qua Jun 13, 2012 12:46 pm

150 de Experiência.

_________________
Zeus, God of Secsy Ray
Zeus • Sexy • /Alone • I need you! •Thanks Larissa Sant @ Sugar Avatars


avatar
Zeus
Deuses Olimpianos
Deuses Olimpianos

Mensagens : 1260
Data de inscrição : 15/09/2011
Idade : 97
Localização : Olimpo

Ficha Mitológica
HP:
99999999999/99999999999  (99999999999/99999999999)
Energia:
99999999999/99999999999  (99999999999/99999999999)
Arsenal:

Ver perfil do usuário http://percyjacksonrpgbrasi.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum